Quantcast
CAMV

Dicas para gerir recursos humanos

De volta à normalidade e na preparação de mais um webinar sobre gestão de carreira da Improve Ambassador fica uma reflexão dedicada à gestão de recursos humanos.

Um dos trabalhos mais interessantes que temos, embora também dos mais morosos e exigentes, é o de gerir recursos humanos. Se na universidade ninguém nos prepara para gerir empresas, muito menos para gerir pessoas. No entanto, se pensarmos bem, nada funciona sem elas. Podemos ter a melhor estrutura, os melhores equipamentos e até sermos o melhor médico veterinário que existe, mas sem uma equipa de trabalho motivada, de nada nos vai valer.

Patrão ou escravo do negócio? Ricardo Almeida aposta em palestras sobre empreendedorismo no setor

Ricardo Almeida – DVM, MBA, diretor clínico Vet Póvoa, consultor Stratvet

Aquele que é o recurso mais importante de uma empresa, é também o mais difícil de gerir e, por vezes, o mais negligenciado. Pegando numa célebre frase de Skapinker, até os corações, pulmões e sistemas nervosos se comportam de forma semelhante, mas a forma como as pessoas se comportam no escritório é muito mais misteriosa. O que funciona numa empresa, pode não funcionar noutra.

Numa altura em que existe uma enorme escassez de recursos humanos em geral e na medicina veterinária em particular, temos de cumprir algumas regras básicas para reter talento. Assim sendo, no seguimento dos métodos de formação-ação que temos utilizado com os clientes da StratVet, seguem algumas dicas úteis para limitar as dores de cabeça dos gestores.

Estas premissas são adaptáveis a qualquer CAMV, desde que devidamente ajustadas à realidade de cada um.

1 – Costuma-se dizer que tudo começa no recrutamento, mas atrevo-me a afirmar que o processo de retenção de talento se inicia muito antes disso. Na verdade, tal como cada empresa tem uma reputação perante os clientes, também a tem perante os seus estagiários e colaboradores. É prática comum, antes de uma entrevista, o candidato contactar com outros colegas que já tenham colaborado com a empresa. Melhore continuamente a imagem da sua empresa enquanto entidade empregadora!

2 – Abra um processo de candidatura e publicite-a de forma realista (de nada vale anunciar benefícios acima da média, caso isso não corresponda à verdade). A Missão e a Visão devem ser totalmente percetíveis e verdadeiras. Neste ponto pode procurar ajuda especializada (infelizmente a StratVet deixou de ter tempo para se dedicar a este serviço, no entanto há várias empresas que o fazem).

3 – Contrate pessoas e não técnicos, é muito mais fácil formar um bom técnico do que uma boa pessoa. Para ensinar o Saber basta promover o conhecimento, o Fazer consegue-se com habilidade (que em certa medida pode ser aprimorada), no entanto o Ser já tem a ver com os valores de cada um, muitas vezes completamente moldados mesmo nos jovens adultos.

4 – Fale com a sua equipa, reúna regularmente com todos e com cada um individualmente! Pergunte-lhes o que está a correr bem e menos bem. Envolva-os nos projetos e objetivos da empresa. Por vezes o que julgamos ser difícil de implementar é extraordinariamente simples. Não tenha receio em pedir opiniões, longe vai o tempo em que esta ação era considerada uma fraqueza.

5 – Relembre regulamente qual a missão e visão para a qual foram contratados, mantenha o fluxo de informação sobre o plano estratégico, estado financeiro, protocolos médicos, etc.

6 – Faça um manual de controlo interno e folhas de funções, passe-o à equipa e corrija-o sempre que necessário.

7 – Institua um método de recompensas justo e adequado ao funcionamento do seu CAMV! Regra geral os incentivos devem premiar a equipa com base nos resultados!

8 – Deixe os horários e folhas de folgas definidos com antecedência para que os colaboradores possam orientar as suas vidas pessoais atempadamente!

9 – É frequente os clientes esquecerem-se que os médicos veterinários têm direito a tempos livres, terem amigos, família e hobbies! Lembre-se desses direitos ao fazer os horários da sua empresa. Respeite o descanso de cada colaborador, evitando contactos de trabalho durante as férias e folgas.

10 – Tenha sempre em conta as mudanças laborais instituídas e as que se avizinham no futuro próximo! Cada vez mais os jovens querem desafios e estímulos constantes e têm menos medo da mudança, sendo previsível que a mobilidade laboral tenha um crescimento exponencial nos próximos anos (mesmo entre profissões).

Todos sabemos o quão difícil é encontrar bons profissionais, no entanto devemos ter sempre em mente que o trabalho que fizermos no presente, ditará a nossa imagem enquanto empregadores, tendo importantes repercussões nos recrutamentos futuros.

Até breve!

*DVM, MBA, diretor clínico Vet Póvoa, consultor Stratvet

*Artigo de opinião publicado originalmente na edição 150,  de junho de 2021, da VETERINÁRIA ATUAL.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde animal?