Quantcast
Animais de Companhia

Beirute: Veterinários portugueses relatam falta de recursos e aglomerados de animais em más condições

Madeira cria apoio financeiro anual para associações de proteção animal

Os médicos veterinários portugueses Mário Ferreira e Rúben Cândido encontram-se em Beirute, no Líbano, onde tentam ajudar pessoas e animais na sequência das explosões ocorridas a 4 de agosto. Os portugueses relatam um cenário de falta de recursos e aglomerados de animais nas ruas em busca de comida.

De acordo a TSF, os dois médicos veterinários terão ido para a capital libanesa com o objetivo de “mudar a vida de alguns animais e de algumas pessoas”, numa tentativa de “fazer algo que ainda não tinha sido feito”.

Um mês depois das explosões, os animais feridos já foram tratados, mas ainda há muitos a vaguear pelas ruas, segundo contou Mário Ferreira à TSF.

“Há uma imensidão de animais de rua em condições muito más, não só na cidade de Beirute como em todo o país, e, em bairros muito pobres, há uma grande concentração de animais porque as pessoas vão despejando restos de comida. É uma realidade muito diferente da nossa, em Portugal”, relata o médico veterinário.

“Sentimos muita gratidão por parte de quem nos rodeia, vêm ter connosco muitas pessoas com animais e sem forma de os manter e cuidar”, acrescenta.

Rúben Cândido reiterou ainda que o trabalho desenvolvido permite compensar os escassos recursos.

Atualmente, as operações de resgate já se encontram suspensas e a capital libanesa tenta agora recuperar.

Este site oferece conteúdo especializado. É profissional de saúde animal?