Investigação

Veterinários de bovinos aconselhados a mudar técnica de vacinação

Veterinários de bovinos aconselhados a mudar técnica de vacinação

Os veterinários de animais de produção estão a ser aconselhados a ajustar a sua técnica de vacinação para reduzir o risco de danificar o nervo ciático em vacas leiteiras. O alerta é dado por uma investigação recentemente publicada pela Universidade de Nottingham, que mostra que existe um elevado risco de danificar este nervo quando se injetam os animais na região dos glúteos.

No caso dos bovinos para carne, esta região é frequentemente evitada, uma vez que é uma das partes preferidas no corte de carne. Contudo, no caso dos bovinos de leite esta continua a ser uma das regiões mais injetadas, sobretudo por conveniência.

No âmbito deste estudo, vários médicos veterinários injetaram vários cadáveres de bovinos como fariam se fosse um animal vivo. Os resultados agora divulgados mostram que 69% dos participantes injetaram o animal a uma distância de cinco centímetros do nervo ciático, enquanto os outros injetaram mesmo no próprio nervo ciático.

O estudo revela também que o nervo ciático é mais largo do que aquilo que vem descrito nos livros científicos da área. De acordo com os autores do estudo, tem entre 3,5 e 4,5 centímetros de largura e uma profundidade que depende da condição corporal do animal, podendo no entanto estar a apenas 2,5 centímetros da superfície da pele.

Os autores aconselham, assim, “a injetar todos os bovinos no pescoço sempre que possível; quando isto não for exequível e a região dos glúteos for usada como local intramuscular para a injeção, aconselhamos uma localização mais lateral”.