Animais de produção

Conheça as primeiras medidas de Miguel Quaresma, novo presidente da APB

Conheça as primeiras medidas de Miguel Quaresma, novo presidente da APB

A Associação Portuguesa de Buiatria (APB) elegeu no passado mês de novembro os seus novos órgãos sociais para o triénio de 2017-2020. A VETERINÁRIA ATUAL falou com Miguel Quaresma, o novo Presidente da Direção da associação, segundo o qual uma das primeiras medidas a implementar é fazer com que novos buiatras se juntem à associação.

A mudança nos órgãos sociais da Associação Portuguesa de Buiatria ocorreu de forma calma, em continuidade e num ambiente de grande colaboração, pelo que não existem problemas urgentes graves a resolver pela nova Direção. No entanto existem algumas questões que exigem a nossa atenção imediata. Pretendemos implementar novas formas de parceria e divulgação que tragam de novo para a APB os associados que se afastaram e que façam os buiatras que nunca foram sócios da APB juntarem-se a nós. Para tal tornaremos mais visível o nosso trabalho através da sua divulgação junto da classe e sociedade civil e estamos já a contactar parceiros para criar colaborações que tragam mais-valias aos nossos associados”.

Conheça as primeiras medidas de Miguel Quaresma, novo presidente da APB

Miguel Quaresma, Presidente da Direção da Associação Portuguesa de Buiatria

“Numa altura da vida em sociedade em que o tempo é sempre escasso e que a informação é abundante e a dificuldade é a sua seleção, a APB tem de chegar aos associados rapidamente e de forma proactiva. A criação e dinamização de uma página nas redes sociais é algo a fazer rapidamente”, revela Miguel Quaresma.

“Existem questões na Buiatria nacional nas quais achamos que podemos e devemos ter uma palavra, em breve. Talvez a mais preocupante seja o fim da recolha em todo o território dos cadáveres de ruminantes. Quando devíamos estar a caminhar para o fim dos enterramentos anárquicos, houve este passo atrás na proteção da salubridade dos nossos solos e lençóis freáticos”.

“Outra área em que pretendemos contribuir é no repovoamento do território, com rebanhos que acabem com o desemprego de vastas áreas do nosso país que, por estarem abandonadas, ficam particularmente vulneráveis aos incêndios florestais e à erosão”, defende o Presidente da APB.

Outro dos objetivos da nova Direção passa pelo fortalecimento da relação “com todas as associações e grupos relacionados com a pecuária de ruminantes” em Portugal. Segundo Miguel Quaresma é importante para a APB “sermos mais interventivos junto da Sociedade Civil na representação dos legítimos interesses dos nossos associados e da Buiatria nacional.” Para isso, a associação pretende aumentar a circulação da Revista da APB e integrar artigos nacionais e internacionais que sejam “uma referência”.

“Todos os colegas são chamados a partilhar na Buiatria o que se vai fazendo em termos técnico-científicos no país. Outras publicações, como os manuais técnicos já apresentados, deverão continuar. Poderá ser alargado o número de livros a patrocinar, se estes apresentarem qualidade e relevância técnica para a Buiatria de Portugal”, acrescenta.

Durante 2018, a Associação Portuguesa de Buiatria deverá realizar vários cursos práticos para os seus associados e irá participar no desenvolvimento do programa do 8º Encontro de Formação da OMV, na área da Buiatria.