Investigação

Salmonela mais resistente aos antibióticos, diz estudo da Universidade do Michigan

México declara estado de emergência devido a gripe aviária

A Salmonella está cada vez mais resistente aos antibióticos, de acordo com um estudo da universidade estado-unidense do Michigan, publicado no início deste mês na revista científica Frontiers in Medicine.

Intitulado Increasing Frequencies of Antibiotic Resistant Non-typhoidal Salmonella Infections in Michigan and Risk Factors for Disease, o estudo centra-se num dos micro-organismos mais distribuídos na natureza, considerado uma zoonose alimentar, e mostra que tem havido um aumento significativo das estirpes resistentes aos antibióticos. Tal tem provocado ainda estadas mais prolongadas nos hospitais da parte dos doentes.

“Se tem uma infeção por salmonela que é resistente aos antibióticos, o mais provável é que seja hospitalizado durante mais tempo e demorará mais tempo a recuperar”, disse ao portal Animal’s Health, Shannon Manning, autora do estudo e professora do Departamento de Microbiologia e Genética Molecular da Fundação Michigan State University.

Segundo a docente, cada estirpe reage de forma diferente aos antibióticos atualmente disponíveis, o que torna a necessidade de uma prescrição correta ainda mais premente, já que cada dia de tratamento inadequado por culpa de um diagnóstico impreciso pode provocar um agravamento dos sintomas.

De acordo com o estudo, há cada vez mais estirpes resistentes à ampicilina, um agente antimicrobiano usado regularmente em casos de salmonelose, mas também cada vez mais estirpes resistentes a vários fármacos, nomeadamente a mais de três classes de antibióticos.

Consulte o estudo na íntegra aqui.