Nutrição

Rações para cães sem cereais podem estar relacionadas com doenças cardíacas

Rações para cães sem cereais podem estar relacionadas com doenças cardíacas

A alimentação natural, orgânica e sem cereais é uma tendência que tem vindo a penetrar aos poucos o mercado da nutrição animal, mas a Food and Drugs Administration (FDA), dos EUA, iniciou recentemente uma investigação por suspeita de que as rações sem cereais para cães podem estar relacionadas com uma maior probabilidade de desenvolvimento de uma doença cardíaca – a cardiomiopatia.

De acordo com o The New York Times, a patologia é comum em cães de grande porte ou em animais com uma predisposição genética para a doença cardiovascular, como é o caso dos Doberman pinschers ou dos Boxers.

O alerta foi dado por uma clínica veterinária em Baltimore, nos EUA, que alertou a FDA para um elevado número de cães de raças como Golden Retriever e Labradores a darem entrada com esta patologia e com um fator comum: uma dieta rica em leguminosas, como lentilhas e grão de bico, e batata, nutrientes utilizados para substituir os cereais da alimentação destes animais, revela o médico veterinário responsável pela clínica norte-americana. Depois de contactar a FDA, a clínica decidiu realizar um inquérito aos tutores dos seus pacientes e concluiu que tinha 150 cães com cardiomiopatia e que todos eles faziam uma dieta à base de alimentos sem cereais.

Segundo o jornal, este tipo de alimentação “começou a ganhar tração em 2007”. Em 2011, as vendas de rações sem cereais para cães já eram responsáveis por 15% das vendas totais de lojas de animais nos EUA, ou seja, cerca de mil milhões de dólares. Em 2017, este segmento já representava 44% do mercado de alimentação animal, nos EUA, com vendas de 2,8 mil milhões de dólares.