Investigação

Poderão os animais contribuir para a saúde e bem-estar dos idosos?

Poderão os animais contribuir para a saúde e bem-estar dos idosos?

Já vários estudos tentaram demonstrar os benefícios dos animais de companhia na saúde física e emocional dos humanos, sobretudo nos idosos. Um estudo do Institute for Successful Longevity, da Universidade Estadual da Flórida, nos EUA, quer agora mostrar se existe ou não veracidade por detrás desta crença.

De acordo com a publicação American Veterinarian, dois investigadores vão receber um financiamento de 50 mil dólares da Gerontological Society of America (GSA), da Mars Petcare e do Waltham Centre for Pet Nutrition para estudar esta premissa e analisar os estudos já feitos sobre o tema, que de acordo com os cientistas, revelam “muitas discrepâncias”.

Sachs-Ericsson, um dos investigadores envolvido, explica que muitos dos estudos já feitos para analisar os benefícios dos animais de companhia na saúde e no bem-estar dos idosos “tinham limitações metodológicas”.

A primeira fase do estudo irá fazer uma revisão dos estudos já publicados sobre o tema para, assim, identificar os fatores que diferenciam as pessoas que detêm animais de companhia daquelas que não têm.

Depois da seleção destes fatores serão aplicadas várias técnicas estatísticas para ‘tipificar’ os indivíduos com animais e os indivíduos sem animais, numa amostra de 20 mil pessoas com 50 ou mais anos de idade que permitirá extrair dados demográficos, traços psicológicos e fatores relacionados com a saúde dos indivíduos.

O objetivo, dizem os investigadores, é “determinar se, e de que forma, as interações sociais humanas estão envolvidas na relação entre os animais de companhia e a saúde humana e analisar a influência dos animais de companhia na saúde de idosos socialmente isolados e de idosos socialmente integrados, assim como na saúde humana no geral”.

No final será criado um modelo que ajudará os investigadores a perceber de que forma os contextos sociais criam relevância para os animais de companhia num conjunto de problemas de saúde que se desenvolvem em fases mais avançadas da vida, particularmente no caso de idosos vulneráveis.