Congresso Internacional de Enfermagem Veterinária

“Persiste o paradigma que o Enfermeiro Veterinário é subordinado ao Médico Veterinário”

“Persiste o paradigma que o Enfermeiro Veterinário é subordinado ao Médico Veterinário”

Foi no final do mês de outubro que teve lugar a 5ª edição do Congresso Internacional de Enfermagem Veterinária, evento que tem uma periodicidade bianual e que tem vindo a ser organizado a cada ano por uma das Escolas Superiores Agrárias que lecionam Enfermagem Veterinária. Este ano sendo atribuída a organização à Escola Superior Agrária de Bragança foi também o primeiro ano em que a AEVP – Associação de Enfermeiros Veterinários Portugueses teve lugar na Comissão Organizadora.

Em Bragança, na escola Superior Agrária de Bragança recebemos entre os dias 19 e 22 de Outubro cerca de 180 participantes no Congresso e nos workshops pré-congresso.

O tema foi “A Enfermagem Veterinária na Cirurgia e Urgência” tema que foi prolongado no Workshop “Monitorização Anestésica” em que foram abordados todos os momentos relevantes na atuação na cirurgia, desde a admissão do paciente anestésico, avaliação pré cirúrgica, preparação do mesmo e da sala, até à cirurgia, anestesia em si e cuidados de enfermagem tanto na anestesia, como em urgências.

Foi um tema que foi ao encontro dos interesses dos profissionais e com expectativa dos estudantes, mas além dos conteúdos direcionados outro aspeto que a organização apostou nesta edição foram oradores, na sua maioria, Enfermeiros Veterinários, em contraste com outros congressos e ações de formação.

Este pormenor foi muito apreciado pelos participantes, pois ouviram colegas com mais experiência e percursos académicos e /ou profissionais específicos a partilhar conhecimentos científicos, mas também experiências pessoais e uma visão mais próxima da realidade.

Sendo o Congresso Internacional um ponto de encontro da classe em que se juntam profissionais, estudantes e docentes que fazem ou fizeram esta profissão surgir em Portugal já há mais de dez anos, há assuntos a discutir e foi na Mesa Redonda que tivemos essa possibilidade, ou seja, analisar temas que são importantes para a progressão da profissão e para a sua credibilização.

A Perceção da Enfermagem Veterinária pelos Médicos Veterinários, Clientes e pelos próprios Enfermeiros Veterinários foi um dos trabalhos que apresentados no Congresso que deu mote ao debate da Enfermagem Veterinária em Portugal, realizado por um grupo de docentes da Escola Superior Agrária de Elvas fez algumas conclusões pertinentes.

Desde o interesse por parte dos profissionais por mais formação de curta duração em áreas mais específica e científica; concluiu também que os enfermeiros veterinários têm a perceção que a formação base necessita de uma componente prática mais reforçada. Outra conclusão é que é uma profissão que tem uma exigência grande tanto a nível físico, como emocional. Estas conclusões são importantes pois permitirão às instituições com responsabilidades adequarem as estratégias para a especialização e valorização da classe.

Perceção dos médicos veterinários e clientes sobre a Enfermagem Veterinária

Por outro lado, num estudo idêntico o foco foi para a perceção dos Médicos Veterinários e dos clientes sobre a Enfermagem Veterinária. As conclusões mostram mais uma vez que temos ainda muito a fazer cada um de nós – Enfermeiros Veterinários e a Associação de Enfermeiros Veterinários Portugueses – para podermos mudar na perceção dos colegas Médicos Veterinários e também dos Clientes. Temos de adotar todos uma postura claramente diferente pois o que o estudo veio mostrar é que persiste o paradigma que o Enfermeiro Veterinário é subordinado ao Médico Veterinário, com a função de o ajudar, visão redutora esta pois enfermagem veterinária é muito mais do que o auxílio ao Médico Veterinário.

Relativamente à perceção dos Clientes quanto à Enfermagem Veterinária leva a concluir que há necessidade de uma comunicação mais forte com foco nas habilitações académicas que estão na base da profissão e que é uma mais-valia na estrutura do CAMV a integração de Enfermeiros Veterinário, mas também é necessário que os que já estão integrados se façam notar como enfermeiros veterinários.

Ordem dos Enfermeiros Veterinários

A formação de uma Ordem de Enfermeiros Veterinários será uma necessidade para alavancar a Enfermagem Veterinária como um classe autónoma regulada e com valorização e credibilização que se espera para uma profissão que tem uma formação específica, técnica e científica que no dia-a-dia tem um papel preponderante no tratamento, monitorização e acompanhamento de pacientes desde ambulatórios a hospitalizados, pacientes cirúrgicos.

Todo um conjunto de circunstâncias que claramente excede o perfil do auxiliar, que tinha sido o único elemento da equipa veterinária até ao surgimento do Enfermeiros Veterinário, que sem tirar nem entrar no campo do ato médico veterinário, há pouco tempo aprovado, tem uma panóplia de funções que têm uma responsabilidade e deverá ter uma responsabilização diferente que um profissional que não tem formação especifica como o Enfermeiro Veterinário.