Animais

PAN quer subcomissão parlamentar para a proteção animal

PAN quer subcomissão parlamentar para a proteção animal

O Partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) quer que seja criada uma subcomissão parlamentar para a proteção animal. De acordo com a Lusa, esta proposta foi apresentada ao grupo de trabalho criado para a reflexão e constituição das futuras comissões parlamentares para esta legislatura, liderado pela vice-presidente da Assembleia da República e deputada socialista Edite Estrela.

Inês Sousa Real, a líder do grupo parlamentar do PAN e ex-provedora Municipal dos Animais de Lisboa, afirma que “o PAN propôs, na reunião do grupo de trabalho que ocorreu hoje (29 de outubro), a criação de duas subcomissões integradas na Comissão do Ambiente, a primeira delas para as alterações climáticas”.

O objetivo desta subcomissão proposta pelo PAN “é dar dignidade a esta matéria das alterações climáticas, pelo impacto que tem na qualidade de vida das pessoas, mas também do ecossistema e do declínio” que ocorre na natureza “em virtude da ação humana”.

A outra subcomissão proposta pelo partido ao grupo de trabalho “tem que ver com uma matéria que o PAN tem defendido várias vezes ao longo da última legislatura, que é a proteção animal”, porque este assunto “não tem tido ainda o destaque com a autonomia necessária”.

“Havendo uma subcomissão específica, isto já permitiria uma reorganização dos trabalhos completamente diferenciadora para, de uma vez por todas, também percebermos qual o impacto que estamos a ter nos outros seres que partilham connosco aqui este planeta”, defende Inês Sousa Real, médica veterinária de formação.

“O PAN acaba por ser sempre disruptivo e algo inovador nesta matéria, mas temos de perceber que esta matéria é, de facto, transversal e tem sido um dos grandes desafios a mudança de paradigma até mesmo para as autarquias locais”, com o fim dos abate de animais nos canis, pelo que não é aconselhável implementar legislação sem haver “um acompanhamento eficaz daquilo que é depois o trabalho das autarquias locais”, afirma ainda Inês Sousa Real.