Investigação

Insetos na alimentação animal tornam setor mais sustentável

Proteínas à base de insetos podem ser resposta para melhorar sustentabilidade do setor dos animais de companhia

As conclusões do projeto EntoValor vão estar em debate hoje, 22 de novembro, na Estação Zootécnica Nacional de Santarém.

A British Veterinary Association (BVA) já afirmou que as proteínas à base de insetos podem melhorar a sustentabilidade dos animais de companhia, mas, em Portugal, já há um projeto que está a colocar esta teoria em prática.

Com a duração de três anos e um investimento de 750 mil euros, o projeto EntoValor veio mostrar os benefícios da introdução de insetos na alimentação animal, utilizando subprodutos da agricultura e agroindústria para a produção de larvas.

Segundo os promotores da iniciativa, liderada pela EntoGreen e três outras empresas (Consulai, Rações Zêzere e AgromaisPlus), a utilização de insetos na conversão de desperdícios nutricionais (subprodutos vegetais) permite criar fontes nutricionais alternativas para animais, principalmente proteicas, e novas fontes nutricionais para as plantas, como fertilizantes orgânicos.

“As regras para uma alimentação sustentável passam por consumir com moderação, de fonte local e de produtores que assegurem o natural ciclo dos nutrientes, maximizando a eficiência de utilização dos recursos naturais e o respeito pela natureza. Com o projeto EntoValor conseguimos verificar que é possível tornar a nossa agricultura sustentável sem com isso acabar com setores de atividade considerados tradicionais, mantendo a qualidade dos nossos produtos e o respeito pelo meio ambiente”, disse Daniel Murta, fundador da EntoGreen.

Numa nota enviada às redações, os responsáveis pelo projeto explicam que, com a sua implementação, foi possível produzir carne e ovos com um menor impacto ambiental.

Entre as aplicações da iniciativa estiveram a substituição total do bagaço e óleo de soja por insetos na alimentação de galinhas poedeiras, “sem que se verifiquem alterações produtivas ou no sabor dos ovos”, e ainda a substituição parcial da alimentação de frangos, sem afetar “a produtividade e a qualidade da carne”, garantem os promotores.

As conclusões do projeto EntoValor vão estar em debate hoje, dia 22 de novembro, na Estação Zootécnica Nacional de Santarém.