Animais

Identificados 441 casos de cães com leishmaniose em Portugal em 2017

Identificados 441 casos de cães com leishmaniose em Portugal em 2017

A Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) publicou recentemente o relatório das ocorrências de agentes zoonóticos em animais em Portugal Continental entre 2014 e 2017. De acordo com o documento, em 2017, foram identificados nas campanhas oficiais de vacinação antirrábica 441 casos de cães com leishmaniose, um aumento face a 2016.

A DGAV revela também que foram identificados 208 cães suspeitos de sarna e 42 cães suspeitos de dermatofitoses. No caso dos gatos não foram identificados suspeitos em nenhuma das zoonoses.

No que diz respeito à brucelose bovina, foram testadas 27 258 explorações, o que resultou num total de 354 animais abatidos. Segundo a DGAV, 99,5% das explorações testadas revelaram-se indemnes ou oficialmente indemnes. No caso da brucelose de pequenos ruminantes, foram testadas 56 216 explorações e foram abatidos 1420 animais, com 97,8% das explorações a ser declarada indemne.

Sobre a tuberculose bovina, a DGAV indica que 99,5% das explorações testadas em 2017 revelaram-se indemnes, com apenas 86 a revelarem resultados positivos para a ocorrência da zoonose num total de 29 813 explorações e com 815 animais abatidos.

A encefalopatia espongiforme dos bovinos, por sua vez, foi em 2017 responsável por 1926 abates de emergência e por 473 abates normais. O número de mortes na exploração devido à zoonose atingiu um total de 19 657 animais.