Animais de Companhia

Hoje é Dia do Gato Preto

Hoje é Dia do Gato Preto

Para combater os preconceitos sobre o gato preto e promover a adoção destes animais, que habitualmente ficam para trás devido às superstições, o MAR Shopping Matosinhos vai promover hoje (17 de agosto) o Dia do Gato Preto. O Dia da Apreciação do Gato Preto foi criado nos Estados Unidos da América para combater os preconceitos sobre este felídeo.

Este ano, o MAR Shopping Matosinhos decidiu marcar a data com uma campanha para adoção de 14 gatos pretos aos cuidados da Midas, bem como para angariar donativos para a associação.

A campanha arranca no dia 17 de agosto e prolonga-se até dia 20 agosto, período durante o qual o espaço irá promover lemas como “É o seu dia de sorte” ou “Azar é não ter ninguém para mimar” com o objetivo de encontrar um dono para nove machos e cinco fêmeas, com idades entre os dois e os três meses.

Em comunicado, os responsáveis pela iniciativa explicam que “mais do que a característica da cor, é o temperamento de cada um que os adotantes deverão ter em conta para adotar com responsabilidade. Os felinos-alvo desta campanha provêm todos da Midas, instituição sem fins lucrativos de defesa animal, com sede em Matosinhos, que tem, atualmente, a seu cargo 217 animais, 130 cães e 87 gatos.”

Organizamos há já alguns anos ações de apoio e defesa animal, mas, de cada vez que o fazemos, procuramos inovar, criar novos ângulos acerca deste tema e ir ao encontro das necessidades atuais das causas e instituições que ajudamos. Através do contacto permanente com a Midas, nossa parceira há bastante tempo, percebemos que uma dificuldade com que as associações se confrontam tem a ver com este preconceito. Com esta ação o MAR Shopping Matosinhos procura ajudar a encontrar lares para estes animais”, refere Sandra Monteiro, diretora-geral do MAR Shopping Matosinhos.

Já Lígia Andrade, da direção da Midas, explica que “dos 87 gatos que temos no abrigo, 22% são pretos. Fruto das superstições existentes, os gatos pretos são mais abandonados e menos adotados. Torna-se urgente desmistificar crenças e explicar que os felídeos desta cor são exatamente como os outros.”