Investigação

Estudo mostra que cães de raças grandes têm menor esperança média de vida

Estudo mostra que cães de raças grandes têm menor esperança média de vida

Foi publicado na revista Plos One um estudo que analisa o mecanismo que pode ser responsável pelo facto de cães de raças pequenas envelhecerem mais lentamente do que cães de raças grandes a nível celular e que os leva a ter uma maior esperança média de vida.

A comunidade científica já conseguiu provar que entre a maioria das espécies animais, os animais maiores tendem a viver durante mais tempo do que os animais mais pequenos, contudo, no caso dos cães, as raças mais pequenas tendem a viver durante mais tempo do que as raças maiores.

Para estudar esta premissa, que partiu de dados sobre a mortalidade de cães, um grupo de investigadores analisou dados recolhidos a partir de células de 21 raças de cães grandes e 11 raças de cães pequenos.

Os resultados agora publicados mostram que as raças maiores podem ter “uma acumulação de danos celulares mais rápida, o que as leva a reduzir de forma significativa a sua esperança média de vida” em comparação com as raças de cães pequenos.

Conheça os resultados da investigação em detalhe aqui.