Médicos Veterinários

Bastonário da OMV diz que houve “articulação perfeita entre as várias entidades” para salvar animais em Monchique

Bastonário da OMV diz que houve “articulação perfeita entre as várias entidades” para salvar animais em Monchique

A rápida intervenção dos médicos veterinários durante o incêndio que no início do mês devastou a serra de Monchique permitiu salvar muitos animais feridos que precisavam de cuidados urgentes. Quem o diz é o bastonário da Ordem dos Médicos Veterinários (OMV), Jorge Cid, que em entrevista à Lusa sublinha que durante o incêndio de Monchique a situação esteve “muito mais controlada” do que durante o incêndio em Pedrógão Grande, em 2017.

Jorge Cid defende que “houve uma prevenção maior e uma articulação perfeita entre as várias entidades, os médicos veterinários foram imediatamente para o terreno e conseguiram rapidamente minorar o problema”.

O bastonário da Ordem dos Médicos Veterinários refere que houve relatos de animais selvagens que foram tratados pelas equipas de veterinários no terreno, nomeadamente alguns javalis bebés e uma raposa que tiveram de ser tratados e alimentados à mão devido a problemas de queimaduras e inalação de fumos.

Para além disso, houve pelo menos 60 animais de companhia que precisaram de tratamento médico-veterinário, apoio esse que foi prestado pelos veterinários municipais e por veterinários de clínicas e hospitais privados. “Quero sublinhar o grande esforço dos médicos veterinários na zona, sobretudo os municipais, e outros, das clínicas e hospitais privados, que receberam os animais e os trataram”, afirma ainda Jorge Cid.