Animais errantes

Abate de animais em canis municipais vai mesmo acabar em outubro

Depois da ameaça do adiamento da entrada em vigor da lei, por falta de preparação dos municípios para dar resposta, a proibição de abates nos canis municipais

Depois da ameaça do adiamento da entrada em vigor da lei, por falta de preparação dos municípios para dar resposta, a proibição de abates nos canis municipais vai mesmo acontecer em outubro deste ano, revela o jornal Público.

O Governo não recua e o abate de animais saudáveis nos canis municipais passa a ser proibido já em outubro, com a eutanásia a aplicar-se apenas em casos em que os animais constituam perigo para outros.

Em declarações ao jornal, o Ministério da Agricultura e a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) sublinham que a legislação aprovada pela Assembleia da República em 2016 não será mexida.

Recorde-se que há cerca de dois meses, o Diretor Geral de Alimentação e Veterinária, Fernando Bernardo, pediu mais tempo ao Executivo para que os canis municipais se pudessem preparar e adaptar para a entrada em vigor da normativa. Também Jorge Cid, bastonário da Ordem dos Médicos Veterinários (OMV), explicou na altura que os centro de recolha oficiais estão completamente lotados e que não acreditava que a lei pudesse entrar em vigor na data prevista.

“Gostaríamos que a lei entrasse em vigor na sua plenitude em setembro, mas não vai haver condições. Ninguém ligou muito à lei e agora é que está tudo ‘ó tio, ó tio!…’A questão do fim dos abates nos canis não se resolve até setembro”, referia Jorge Cid.

Recentemente, o Governo anunciou a abertura de uma linha de financiamento, no valor de um milhão de euros, para as autarquias poderem fazer obras nos respetivos centros de recolha e os poderem dotar de condições de esterilização para os animais.