Medicina Veterinária

A APMVEAC subscreve posição da WSAVA sobre acesso equitativo a Terapêuticas Veterinárias

A APMVEAC subscreve posição da WSAVA sobre acesso equitativo a Terapêuticas Veterinárias

A Associação Portuguesa de Médicos Veterinários Especialistas em Animais de Companhia (APMVEAC) anunciou esta quarta-feira (4 de julho) que subscreveu a posição da WSAVA sobre o ‘Acesso Equitativo a Terapêuticas Veterinárias para Veterinários a Título Internacional’. Foram já várias associações veterinárias em todo o mundo que já subscreveram o documento publicado no início do ano e que exige a melhoria do acesso a terapêuticas veterinárias.

De acordo com a World Small Animal Veterinary Association (WSAVA), o acesso adequado a todo o arsenal terapêutico veterinário é “essencial para melhor exercermos a nossa profissão e melhor defendermos a saúde e bem-estar animal.”

Nesse sentido, a WSAVA está a criar um Grupo para desenvolver Diretrizes sobre Terapêuticas e que deverá envolver vários profissionais com experiência na área que terão como objetivos o “desenvolvimento de padrões mínimos para a farmácia hospitalar veterinária, para garantir que pode suportar a capacidade de um veterinário proporcionar um nível adequado de cuidados médicos”; “a monitorização de aspetos relacionados com o acesso a terapêuticas veterinárias e recomendação de soluções usando uma abordagem baseada na evidência”; e “o envolvimento das partes interessadas a nível internacional, de modo a chamar a atenção sobre o tema e construir uma abordagem cooperativa que permita a resolução destes problemas.”

Walt Ingwersen, Presidente da WSAVA, defende que “o acesso rápido pelos profissionais veterinários a modalidades de diagnóstico e terapêutica constitui a base para a instituição de cuidados adequados aos pacientes. A frustração frequente que muitos dos nossos associados experienciam no acesso aos produtos de que necessitam constitui uma preocupação real. Tem um impacto significativo na qualidade da terapêutica veterinária que muitos podem proporcionar, com a consequência que muitos milhares de animais não podem receber um nível ótimo de cuidado.”

“O nosso Grupo para as Diretrizes sobre Terapêuticas proporcionará recomendações e diretrizes baseadas na evidência científica relativamente ao acesso a terapêuticas veterinárias. Estamos muito satisfeitos por saber que algumas das nossas associações membros já assinaram a nossa Declaração de Posição e apelamos que mais associações e uma mais vasta comunidade veterinária se junte a nós, para ajudar a efetivar uma tão necessária mudança”, acrescenta.

Para além da portuguesa APMVEAC, também a Associação Veterinária Mundial (WVA), a Federação Europeia de Veterinários (FVE) e a Federação Francófona de Associações de Médicos Veterinários de Animais de Companhia (FAFVAC) já subscreveram a campanha.