Animais de Companhia

1.º Simpósio Europeu sobre Nutrição de Animais de Companhia dedicado a alergias a gatos

1.º Simpósio Europeu sobre Nutrição de Animais de Companhia dedicado a alergias a gatos

O Purina Institute organizou, nos passados dias 21 e 22 de outubro, em Praga, o 1.º Simpósio Europeu sobre Nutrição de Animais de Companhia. Sob o mote “A ciência dos gatos”, o evento reuniu 42 médicos veterinários de 17 países para falar de alergias em gatos e abordagens nutricionais para reduzir o impacto das alergias de humanos a felinos.

De acordo com a organização, o evento foi uma oportunidade para os profissionais ficarem a saber mais sobre o impacto das alergias de humanos a felinos, assim como formas de mitigar estas alergias.

Daniel Rodes, médico veterinário responsável regional do Purina Institute na Europa, Médio Oriente e Norte de África, sublinha que, “nos últimos 25 anos, organizámos congressos mundiais sobre Nutrição de Animais de Companhia e agora quisemos proporcionar este momento único de partilha de conhecimento científico com a classe veterinária a nível regional. Este evento permitiu também uma melhor interação e partilha entre participantes e oradores convidados”.

Já Andrew Sparkes, especialista em medicina felina do Reino Unido e um dos oradores neste evento, lembrou que as alergias das pessoas a gatos possuem um impacto enorme na relação entre humano e os felinos, referindo que “além de muitos gatos serem entregues em gatis porque os seus tutores já não conseguem gerir o impacto debilitante da sua alergia, também muitos apaixonados por gatos optam por não adotar devido à sua alergia a felinos. Por fim, muitos tutores de gatos com alergias optam por viver com o seu gato, mas forçam-se a manter a distância e não disfrutam da interação com o seu gato”.

Enrico Heffler, imunologista humano e especialistas em alergias, acrescentou que a percentagem de pessoas com alergia a gatos varia de país para país, mas pode atingir os 30%. “O principal alérgeno felino é o Fel d1, ao qual reagem 96% dos pacientes alérgicos a gatos.” O imunologista referiu que o maneio é multimodal, mas a remoção do gato do ambiente familiar é a medida mais recomendada, já que o alérgeno Fel d 1 – que aparentemente não parece desempenhar um papel fisiológico importante para o gato – é fundamentalmente encontrado na saliva do gato e, subsequentemente, no seu pelo e nas partículas de pele, que se espalham no ambiente onde o gato vive.

Ebenezer Satyaraj, imunologista do núcleo de Investigação & Desenvolvimento da Purina explicou ainda que a ligação tutor-gato pode ser afetada por múltiplos aspetos, incluindo doença do gato ou alergias dos humanos aos gatos. Estudos recentemente publicados indicam que a abordagem nutricional pode ajudar a reduzir o impacto desta alergia, uma metodologia que pode transformar a forma como as pessoas podem gerir as alergias a gatos, reduzindo a exposição ao alérgeno, mas não ao gato.