Medicina Veterinária

Surto de esgana leva ao abate de 50 cães em Ponte de Lima

DGV confirma utilização de cães do canil de Évora como cobaias

Um surto de esgana detetado no canil intermunicipal do Alto Minho, em Ponte de Lima, vai obrigar ao abate de 50 cães. Outros 80 estão em quarentena informou Jorge Mendes, vice-presidente da CIM do Alto Minho.

Em declarações à Lusa, o responsável referiu que o surto de esgana levou “ao encerramento, por 30 dias, da estrutura” que abarca os 10 concelhos do distrito de Viana do Castelo, integrados na Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho.

Segundo o também presidente da Câmara Municipal de Valença, “para prevenir a propagação do vírus fomos obrigados a cancelar toda as saídas e entradas de animais. O canil só aceitará algum animal se for um caso urgente, que esteja a colocar em causa a saúde pública”.

Segundo o autarca, a DGAV está ao corrente da situação e a coordenar o combate à doença “encaminhando todas as normas e procedimentos a seguir para os veterinários municipais”.

Jorge Mendes adianta que o surto “está circunscrito aos maiores canis do Alto Minho, o intermunicipal, situado em Ponte de Lima, e o municipal de Viana do Castelo”.

Recorde-se que há uma semana, um surto de esgana que contagiou vários animais no CRO de Braga obrigou ao abate de 50 animais no canil municipal.

Como reconhecer os sintomas

Os tutores devem estar atentos a sintomas como febre, falta de apetite, corrimentos nasais e oculares muco-purulentos, pneumonia e diarreia. Nas duas a três semanas após a infeção desenvolvem-se sintomas neurológicos, como ataques epiléticos e convulsões, fraqueza dos membros e perda de coordenação.