Animais de Companhia

Síndrome de Noé: número de acumuladores de animais preocupa PAN

Síndrome de Noé: número de acumuladores de animais preocupa PAN

A síndrome de Noé está a aumentar em Portugal. Esta perturbação mental, também conhecida por Síndrome de Diógenes, leva as pessoas a acumular de forma compulsiva animais nas suas casas e está a preocupar o PAN, que apresentou na Assembleia da República uma proposta de resolução para criar um grupo de trabalho para criar um plano para prevenir e lidar com os casos da doença.

De acordo com o Diário de Notícias, a tomada de consciência para o problema desta perturbação mental chegou quando um dos membros do PAN se apercebeu que uma das vizinhas da sede do partido sofria do problema.

Cristina Rodrigues conta que “tínhamos uma vizinha, que até costumava passar pela sede do PAN e falar connosco sobre os animais. Sabíamos que tinha alguns gatos, mas nunca imaginámos que a situação fosse como era”: cerca de 100 gatos dentro de um apartamento com apenas quatro assoalhadas na Avenida Almirante Reis, alguns dos quais já cadáveres e a viverem sem condições de higiene.

Segundo o partido, têm chegado “imensas denúncias de situações como essas, que acontecem cada vez mais e por todo o país”, razão pela qual o PAN decidiu elaborar uma proposta de resolução para criar um grupo de trabalho com vista a elaborar um plano para prevenir e lidar com os casos da síndrome de Noé.

Esta perturbação mental caracteriza-se pela acumulação de animais domésticos sem que lhe sejam oferecidos os cuidados necessários e tem como fatores de predisposição o stresse psicossocial e a solidão.

5 sintomas da Síndrome de Noé

1 – Descuido com cuidados e higiene pessoal,

2 – Abandono do cuidado ambiental;

3 – Isolamento marcado;

4 – Falta de pudor visível através da quebra de condutas sociais básicas

5 – Comportamento acumulador

Mais informações no estudo de Oscar Ribeiro e Rosa Almeida – Intervenção na Síndrome de Diógenes: desafios à Prática Social e à Saúde Pública